• behance
  • facebook
  • google
  • linkedin
  • pinterest
  • twitter
  • youtube
  • rss
5 melhores práticas para um bom dashboard ao nível de UI & UX Design

5 melhores práticas para um bom dashboard ao nível de UI & UX Design


Se há algo que caracteriza o momento atual do estado da informação é a existência de grandes quantidades de bases de dados e de conteúdo a correr nos meios digitais. Cada vez mais esta informação é apresentada em Dashboards dos mais diversos sistemas de informação.

Do Ponto de Vista do Designer:

Antes de se falar do que realmente importa, é necessário ter em atenção dois sistemas, o que são e como se interligam: Dashboards e Business Intelligence (BI).

Um sistema de Business Intelligence trata-se do processo de exibição de grandes quantidades de dados numa plataforma que se deve deve permite gerar conhecimento e ajudar os indivíduos (administradores/gestores de uma entidade) nos processos de tomada de decisão e controlo das organizações. Por sua vez um Dashboard é uma ferramenta de apresentação dos principais drivers da atividade organizacional apenas num único ecrã, sendo apresentadas informações instantâneas e de visão integrada. Um Dashboard de Business Intelligence, atualmente, fornece uma coleção de componentes visuais, tais como gráficos, que devem permitir visualizar as informações de uma forma fácil, eficaz e rápida.

5 melhores práticas para um bom dashboard ao nível do
UI & UX Design

  1. Construir uma narrativa coerente

Quando se cria um Dashboard é necessário termos objetivos, haver perguntas às quais os dados que são recolhidos e demonstrados têm que responder. Não vale a pena recolher dados se eles não têm um propósito. Também é importante pensar na disposição dos dados e informações, de maneira a criar “memória fotográfica” entre eles. Como se faz isso? Para além de todas a decisões gráficas que o designer deve tomar, para realizar esta tarefa ele deve pensar como se os gráficos tivessem uma sequência lógica, segmentados por temáticas, assim existirá um encadeamento correto do sistema de visualização. Isto serve para quê? Facilitar e tornar óbvio como as pessoas devem usar a informação.

  1. Criar uma experiência de utilização agradável
    (seguir princípios de user-centered-design)
  • Apresentar claramente os dados e as relações entre si;
  • Escolher a melhor forma gráfica, a melhor palete de cores e escala para representar os dados;
  • Dar mais relevância ao dados que realmente importam, ou seja, destacar os dados principais dos secundários;
  • Apostar em mostrar dados e informações através de tipografia.
  • Criar um sistema de alertas quando existe alterações negativamente ou positivamente dos dados e informações que se está a analisar no Dashboard criado.
  1. Escolha as melhores técnicas de visualização de dados e informação

Um Dashboard deve responder a um problema infocomunicacional que existe numa organização, as empresas não necessitam de mais um meio de agregação de gráficos. Os dados e informações recolhidos devem ser tratados graficamente da forma mais correta, atribuindo-lhes o método de visualização mais indicado.

No nosso ponto de vista deve-se apostar:

  • Em dimensões chaves, utilizando gráfico de linhas, de barras, interligando com indicadores complementares, usando-se essencialmente tipografia e ícones para representar essa informação;
  • Em perceber qual é o formato em que os dados são disponibilizados e a partir daí associar a forma gráfica mais correta, simples e clara possível de os representar.
  1. O Dashboard deve ser interativo e em tempo real

Ou seja, deve ser permitido ao utilizador interagir com os gráficos ou informações que estão disponibilizada na plataforma através:

  • Zonas clicáveis que alteram a informação apresentada;
  • Criar comparações entre dados e informações;
  • Zoom-in e Zoom-out;
  • Alterar os períodos temporais da informação;
  • Permitir filtrar informação.

E nunca esquecer que esta informação deve estar em constante atualização (sendo que se deve avisar quando foi feita a ultima alteração) automaticamente, mas tendo sempre em atenção a base de dados com qual se está a trabalhar.

  1. Deve estar disponível para ser usado em todos os dispositivos

Nos dias de hoje este ponto já óbvio, mas nunca é demais relembrar. Sendo uma área onde os gestores e/ou administradores estão em constante movimentação estes necessitam de ter acesso a esta plataforma em qualquer lugar e em todos os dispositivos.
AQUELE VICIO DO TRABALHO, SABE?

Gostou do Artigo? Deixe-nos a sua opinião… 

Acha que um Dashboard deve aglomerar toda a informação numa única página
sem scroll?

O utilizador deve ter a possibilidade de modificar a disposição da informação?

Neste  tipo de plataforma, para si o menu deve estar do lado esquerdo ou na parte superior?

Quer saber mais sobre Dashboards, FALE CONNOSCO!!

Até já,
OAKREATIVE